Uma mensagem com significado

O tempo do contacto massificado terminou. Tudo revolve hoje em torno de uma estratégia de segmentação do público e comunicação direcionada, com uma mensagem em que o conteúdo relevante conquista um papel central.

As consequências desta tendência dominam a discussão entre os profissionais responsáveis pela gestão da comunicação das suas marcas e transforma o modo como plataformas e canais se adaptam para responder a uma crescente exigência de proximidade e significado.

Exemplo desta transformação é visível na recente decisão por parte do Facebook de diminuir o volume de informação partilhada e dar primazia a publicações de outros utilizadores na rede. A medida surge como alerta para as marcas presentes na plataforma e promete transformar o modo como pensamos a interação, o investimento e  os processos a utilizar. Num mercado cada vez mais centrado no público, é a forma como este entende a sua experiência que vai ditar o percurso do Marketing.

O estudo 2017 Meaningful Brands, conduzido pelo Havas Group, identificou que 84% do público espera que as marcas criem conteúdo associado a soluções, experiências, entretenimento e eventos. Mas a resposta fica aquém desta exigência e 60% de todo o conteúdo criado por marcas surge como sendo pobre, irrelevante ou como não cumprindo os objetivos propostos. Esta é uma falha, num momento em que o conteúdo é visto como tendo o papel de informar e inspirar aqueles para quem é dirigido. Apenas uma estratégia de content marketing, que identifique alvos e momentos de contacto estruturados, pode responder eficazmente a metas de valor acrescentado, conquista de reputação e visibilidade.

A palavra-chave aqui é valor. Como podemos definir “valor”? Que mensagem e discurso são realmente valiosos para os nossos clientes e parceiros? São notoriamente poucas as organizações que conseguem responder a esta questão e dar resposta à proposta que a mesma encerra. E, no entanto, a capacidade de identificar o valor de uma organização perante o seu público nunca foi tão importante.

Saber compreender as expectativas do nosso público torna-se, assim, o primeiro passo para idealizar uma dinâmica que nos permita tornarmo-nos relevantes aos seus olhos e fidelizá-los. A visibilidade já não chega se não conseguirmos criar uma relação; não basta sermos visíveis se não estivermos presentes e ativos. Este é o desafio, que nos obriga a ir além da mera apresentação da oferta e a conseguir criar conhecimento, saber e experiência.

Sabe como lhe dar resposta na sua organização?

 

Marta Gonçalves

Managing Partner | Say U Consulting