O resultado do Empreendedorismo na criação das Startups

Os portugueses estão cada vez mais empreendedores e as Startups estão a desempenhar um papel muito relevante no desenvolvimento das tecnologias e no mundo organizacional. O empreendedorismo está, cada vez mais, a tornar-se uma tendência.

O perfil das startups está a mudar, com mais iniciativas individuais, de menor dimensão, mas com um perfil mais exportador.

No estudo, “O empreendedorismo em Portugal”, os sectores onde nascem mais empresas são os serviços e o retalho. No entanto, estas empresas crescem mais nas áreas da agricultura, pecuária, pesca e caça. É importante destacar que na restauração e na hotelaria também se notou um aumento na criação de novas startups.

Em Lisboa registou-se maior crescimento de startups, depois o Alentejo e por último a região Norte.

Entre 2007 e 2015, foram constituídas 309 550 empresas e outras organizações. Foram cerca de 34 mil por ano, em média. A quase totalidade (93%) das entidades criadas são sociedades comerciais, embora, em média, apenas 74% tenham iniciado atividade no ano de nascimento. Depois de uma queda entre 2008 e 2012 (exceção feita ao ano de 2011, em que a possibilidade de constituição de empresas com capital social mínimo de um euro por sócio impulsionou os nascimentos), iniciou-se, em 2013, um ciclo de expansão que culminou, em 2015, no melhor ano em número de constituições desde 2007.

Fonte