As três plataformas fundamentais para o posicionamento das marcas

Ao contrário da maioria dos media (como a televisão, rádio, imprensa escrita…), o marketing digital proporciona uma oportunidade menos dispendiosa, mais imediata e até direta de promover negócios numa comunidade global.

As redes sociais, são o exemplo perfeito de uma ferramenta que permite ao empreendedor comunicar de forma rápida e simples.

Exemplos das redes sociais mais utilizadas em Portugal são o Facebook, o LinkedIn e o Instagram. Deve-se sempre considerar o target, produto e objetivos.

Atendendo a este último aspeto, alguns dos motivos para considerar uma presença nas redes sociais são:

– Comunicar com novos clientes ou parceiros. As redes sociais já integram ferramentas de publicidade simples e com critérios de segmentação muito variados. O Google AdWords define a disposição dos seus anúncios por “tags” de pesquisa face às redes sociais. Contudo, uma diferença interessante é que estas pesquisas permitem a segmentação por profissão, hobbies, grau de estudos, estado civil, etc. Um consumidor que pratica ski mas raramente pesquisa sobre o tópico, dificilmente visualiza o seu anúncio do Google AdWords. No entanto, ele é facilmente segmentado pelo Facebook.

– Avaliar estratégias. As redes sociais podem servir como uma primeira abordagem ao mercado, avaliando o interesse do consumidor no seu sector, produto, campanha, etc. Na verdade, e mesmo que opte por não avançar com uma presença nestas plataformas, descurar os comentários dos seus clientes ou estratégias dos seus concorrentes é uma negligência grave.

As startups encontram-se geralmente condicionadas por recursos limitados. Sem uma base de clientes estável e num contexto de concorrência, a necessidade de chegar ao consumidor com rapidez e expressar a mais-valia de um novo produto ou serviço torna-se decisiva.