Como será o futuro das Relações Públicas?

Inteligência Artificial

A influência da tecnologia na nossa vida aumenta de forma exponencial e é cada vez mais um fator de mudança transversal as todas as atividades e setores.

A Inteligência Artificial (AI) é uma dessas tecnologias, cada vez mais capaz de simular a capacidade humana de raciocinar e realizar tarefas comuns e é algo presente no quotidiano de muitas pessoas e organizações. As empresas de comunicação e Relações Públicas não são exceção, e mais de 80% dos profissionais de comunicação a nível global acreditam que as inovações tecnológicas são um dos principais drivers de mudança nesta indústria

Mas apenas cerca de metade afirmam estarem a usar a mais recente tecnologia na sua comunicação. Por uma razão simples: sem mão humana, a comunicação perde eficácia.

Veja-se por exemplo as plataformas de gestão de redes sociais, um dos exemplos dos avanços trazidos pela IA, que também ajuda na previsão e melhor reconhecimento de potenciais crises. Mas o toque pessoal ainda é vital para moldar a resposta a uma crise e o storytelling precisa de mão humana. Os chatbots não conseguem transmitir emoção.

A IA tem potencial para tornar a comunicação mais eficaz, facilitar o trabalho monótono e linear, poderá ser uma oportunidade de progressão e de redução de tempo e de recursos no quotidiano laboral, permitindo aplicar recursos naquilo que os clientes querem: ideias criativas e estratégia.

O desafio como profissionais da comunicação está em digitalizar o expectável e a rotina para ganhar eficiência, ao mesmo tempo que continuam a humanizar aquilo que é excecional, que é mais criativo no trabalho de comunicação: gerar uma reação emocional que motive uma mudança de comportamento.

Nós estamos preparados para as potencialidades, oportunidades e progressos trazidos pela IA sem descurar a emoção e criatividade. Desafie-nos a percorrermos juntos o caminho do equilíbrio entre a utilização da IA e a excecionalidade das pessoas.