Mazars aponta impacto de norma sobre relatórios de auditoria

norma isa 701
A Mazars analisou os resultados da implementação da Norma ISA 701, que veio modificar o processo de elaboração do relatório de auditoria em várias geografias. As alterações a este processo pretendem trazer um melhor entendimento e informação acrescida para maior apoio à gestão organizacional.

Lisboa, 03 maio de 2019 – O estudo “A Benchmark of Key Audit Matters”, desenvolvido pela Mazars, analisou os resultados da aplicação da norma ISA 701 e a sua influência sobre os relatórios realizados pelos profissionais de auditoria. A norma desenhada pela International Federation of Accountants (IFAC) define um novo formato de relatório de auditoria, aplicável a entidades cotadas, que permite ao auditor expor de forma mais eficaz, o racional do trabalho desenvolvido. A comunicação das matérias consideradas mais relevantes pelo auditor possibilita um melhor entendimento da avaliação realizada, proporciona informações adicionais aos destinatários das demonstrações financeiras e auxilia a Gestão na organização.

 

A aplicação da ISA 701, em 2016, teve um impacto abrangente ao nível do trabalho de auditoria, uma vez que para dar cumprimento ao objetivo final proposto – comunicar as matérias relevantes de auditoria no relatório do auditor – se tornou necessário rever, atualizar e pensar todas as fases do próprio processo de auditoria.

 

As matérias relevantes de auditoria (Key Audit Matters ou KAM) são as matérias que o auditor, com base no seu julgamento profissional, considerou mais significativas no âmbito da auditoria efetuada às demonstrações financeiras e que selecionou do conjunto de elementos que foram objeto de comunicação aos responsáveis da Gestão.

 

Com base nos resultados do estudo conduzido, a norma aparenta ter sido aplicada de forma consistente e as metas dos standards foram globalmente cumpridas.

 

Para Luís Gaspar, Managing Partner da Mazars em Portugal, “o papel do auditor incorpora necessariamente a proteção do interesse público. Este é um princípio-chave da profissão que passa pela transparência e informação. É parte integrante das responsabilidades dos profissionais de auditoria conseguir explicar os conceitos associados à sua prática e tecer considerações. Acreditamos que a partilha dos resultados deste estudo demonstra o caráter de transparência da atuação da Mazars e o nosso compromisso para com este desafio, contribuindo para a criação e partilha de conhecimento e uma melhor compreensão sobre os processos entre os stakeholders e a comunidade diretamente envolvida neste contexto”.

 

Desde a publicação do último estudo da Mazars sobre este tema – Mazars Benchmark on Key Audit Matters”, ainda em 2016 – o contexto mudou. Existe agora um leque mais amplo de países que incluem os KAM nos seus relatórios de auditoria desde a implementação da ISA 701. Como consequência, este novo estudo abordou os KAM num novo ângulo, tendo como propósito comparar resultados em 12 mercados – África do Sul, Brasil, Chipre, Emirados Árabes Unidos, França, Holanda, Nigéria, Omã, Quénia, Reino Unido, Roménia e Zimbabué.